terça-feira, 31 de julho de 2012

segunda-feira, 16 de julho de 2012

CANGAÇO - BIBLIOGRAFIA COMENTADA



Sinopse:

A vastíssima bibliografia sobre cangaço assusta quem deverá rastrear toda uma produção inspirada nos gêneros biográfico, crônica, reportagens, ficção, contos, romances, cordel, memória, história oral, novelas, roteiros, iconografia e filmoteca. Melquíades tem a mais completa biblioteca sobre o cangaço a que alguém possa ter acesso na hora da redação de qualquer trabalho científico sobre o tema.

(...) Timidamente, para um círculo de pesquisadores dos fenômenos do cangaço, Melquíades foi publicando as fichas de cada material de sua coleção, com o título "Bibliografia Comentada do Cangaço", até organizar este magnífico guia de fontes, que resolveu nominar como "Cangaço: uma ampla bibliografia comentada".

Compre já! 

Nesta edição de luxo com capa dura e papel especial, estão incluídos os Volumes: I - II - III - IV e V da série "Bibliografia Comentada do Cangaço", mais o volume  VI, inédito. Portanto são (6 em 1) que somam 392 páginas. Com peso de 1,2 kg. Adquira o seu agora com o valor especial de R$ 85,00 (Oitenta e cinco reais) "Frete incluso". Pelo email: franpelima@bol.com.br ou se preferir (83) 9911 8286.


sexta-feira, 6 de julho de 2012

DELEGADO ARCHIMEDES CONTRA O MATA SETE




No dia 02 de junho de 2012, estive participando do lançamento do livro “Lampião Contra o Mata Sete”, do delegado Archimedes Marques, na capital sergipana.

Evento bastante esperado, acabou confirmando as melhores expectativas pelo grande número de afeiçoados pelas coisas nordestinas, as lides cangaceiras de outros tempos, que ali compareceram para prestigiar o autor. E também saborear comidas típicas do ciclo junino.

Voltei com o belo exemplar debaixo do braço e muito agradecido pelo que pude presenciar. Numa roda à parte dos convidados estava a nata pesquisadora, entusiasta e escritora sobre a saga do cangaço. Pessoas que acompanham eventos cangacistas onde eles ocorram.

Mesmo adoentado, Alcino Alves Costa, escritor sertanejo de renome nacional, proseava com o também escritor João de Sousa Lima, um pauloafonsino que leva a vida nos passos de Maria Bonita e do Capitão. E para surpresa maior ali também estava o verdadeiro mecenas da literatura nordestina, o Francisco Pereira Lima, mais conhecido como Prof. Pereira.
Aliás, diz o cartão de visitas do Prof. Pereira que o mesmo é especialista em livros do cangaço, movimentos messiânicos, coronelismo e temas afins. Mas é muito mais, pois responsável pela publicação e reedição de importantes obras sobre tais temas, e que somente através dele puderam chegar ao conhecimento dos pesquisadores e novos leitores.

Pois bem, enquanto Alcino, João de Sousa Lima e Prof. Pereira proseavam sobre as trilhas lampeônicas e outras trilhas da história, o delegado e escritor Archimedes Marques autografava livros mais adiante. Aproximei-me com exemplar à mão e logo o mesmo repetia sobre o meu nome também estar constando nas referências bibliográficas, através de artigos e crônicas que subsidiaram a obra.